30 de set de 2010

Espanha desarticula mais uma rede de prostituição de brasileiros

30 de set de 2010
Por Jefferson Silva em

"Que bom, agora faltam só trinta e duas milhões novecentos e cinqüenta e cinco mil trezentas e trinta e duas redes"

Os depoimentos de seis pessoas que tinham sido vítimas da organização deram início às investigações, em abril de 2009, nas cidades de Gerona e Barcelona. Após um ano e meio de investigações em colaboração com as autoridades brasileiras, a polícia espanhola conseguiu desarticular a rede, que explorava sexualmente tanto mulheres, homens e transexuais.

As vítimas contraíam dívida com os membros da organização, que oscilava entre 2,5 mil e 9 mil euros. Elas tinham de pagar com a venda do próprio corpo. Mas a dívida ia aumentado de forma arbitrária com pagamento de "multas" por infringir normas de comportamento ou contas de eletricidade, telefone ou televisão.

A quantia recebida pelo primeiro programa era sempre para o prostíbulo, a segunda para pagar parte da dívida contraída com a rede e, a partir do terceiro programa, o clube ficava com um terço do dinheiro. O resto ficava com a vítima, que o usava para saldar o resto da dívida. Durante a operação, a polícia investigou sete domicílios, nos quais foram encontrados 74.203 euros em dinheiro, 400 gramas de maconha e duas balanças de precisão.